sábado, 10 de outubro de 2009

Show de Aliteração com Chico Anysio e o Mundo Moderno.


Fantástico o show de aliteração dado pelo Escritor, Humorista, Garoto Propaganda, Ator, Autor, Pai de uns 23 filhos etc. O poema Mundo Moderno foi apresentado nos 18 anos do Programa do Jô.
* A Aliteração é um recurso linguístico que repete fonemas num verso ou frase. Tem grande poder de persuasão, pois o som de determinados fonemas leva nosso cérebro por caminhos diferentes.

“Mundo moderno, marco malévolo, mesclando mentiras, modificando maneiras, mascarando maracutáias, majestoso manicômio. Meu monólogo, mostra mentiras, mazelas, misérias, massacres, miscigenação, morticínio maior, maldade mundial.
Madrugada... matuto magro, macrocéfalo, mastiga média morna, monta matumbo malhado, munido machado, martelo... mochila mucha, margeia mata maior. Manhãzinha move moinho moendo macaxeira, mandioca. Meio-dia mata marreco... manjar melhorzinho.
Meia-noite mima mulherzinha mimosa, Maria morena, momento maravilha, motivação mútua mas monocórdia, mesmice. Muitos migram mascilentos, maltrapilhos, morarão modestamente: malocas metropolitanas; mocambos miseráveis, menos moral, menos mantimentos, mais menosprezo. Metade morre... mundo maligno, misturando mendigos maltratados... menores metralhados, militares mandões, meretrizes marafonas, mocinhas, mera meninas... mariposas, mortificando-se moralmente, modestas moças maculadas, mercenárias mulheres marcadas... mundo medíocre. Milionários montam mansões magníficas, melhor mármore, mobília mirabolante, máxima megalomania, mordomo, Mercedes, motorista, mãos magnatas manobrando milhões mas maioria morre minguando. Moradia meia-água, menos, marquise. Mundo maluco, máquina mortífera, mundo moderno melhore, melhore mais, melhore muito, melhore mesmo. Merecemos... maldito mundo moderno, mundinho merda.”


http://www.youtube.com/watch?v=qIGYZFDl174

Ora! Fita métrica para ver a hora?

Horas, minutos e dias da semana medidos com precisão métrica. Em pleno fervor da Era digital, o novo relógio Ora, projetado pelo designer grego Alexandros Stasinopoulos, nem precisava dizer a nacionalidade dele, dá um show de comunicação mecânica lembrando os velhos, grandes e raros Relógios de Parede.
Com o crescimento do uso de celular e suas horas fáceis, o relógio de pulso virou um mero "adorno", perdeu sua função básica, afinal, canso de ver gente com relógio bonitão olhar as horas no celular.
Inovação grega, engenharia suíça e uma tal excentricidade humana. Show de Bola!

http://acriacao.com/2009/09/29/ora-by-alexandros-stasinopoulos/

Maury Muniz
.